Barbosa, um goleiro no imaginário popular

BannerHome 02
Artistas baianos de destaque, como Lygia Sampaio, Ju Campos, Dulce Cardoso, Guel Silveira, Adilson Santos, Almira Reuter e Licia Garrido, sob curadoria da museóloga Irene Santino, expõem... 

Artistas baianos de destaque, como Lygia Sampaio, Ju Campos, Dulce Cardoso, Guel Silveira, Adilson Santos, Almira Reuter e Licia Garrido, sob curadoria da museóloga Irene Santino, expõem trabalhos com técnicas e linguagens variadas tendo como tema o goleiro da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1950, Moacir Barbosa. Negro, paulista de Campinas, Barbosa teve a sua trajetória profissional prejudicada pelo fatídico gol que entrou na rede brasileira na partida final contra o Uruguai. O jogador levou a responsabilidade pela derrota do Brasil na Copa e é isso o que a exposição quer questionar: “Na verdade, o brasileiro tem muita dificuldade em lidar com a perda, sobretudo no futebol. Com a mostra queremos quebrar esse paradigma e recuperar um pouco a memória de Barbosa, que morreu no anonimato e afastado da torcida. As pessoas nunca perdoaram esse gol (marcado pelo uruguaio Alcides Ghiggia), mas se esquecem de sua trajetória como jogador profissional e do seu empenho durante todo o jogo decisivo”, justifica a curadora Irene Santino.